Quais as características de um empreendedor?

Empreendedorismo não é só abrir uma empresa, mas sim uma solução para muitas de nossas dores. Boa parte das angústias contemporâneas estão relacionadas ao trabalho ou ao dinheiro. Empreendendo, você tem a possibilidade de realizar o seu sonho: ganhar a vida fazendo o que gosta.

Seja qual for o seu hobby, acredite, é possível transformá-lo em um negócio. Ou, então, você pode ser mais pragmático e continuar separando o lazer e suas preferências pessoais do universo profissional e, mesmo assim, empreender.


Mas tudo fica mais fácil quando há uma paixão por trás, embora apenas isso não seja suficiente.


É muito importante desenvolver uma mentalidade empreendedora e características pessoais que impulsionam a empreitada. E, claro, conhecimento.


Que tal aproveitar essa oportunidade e entrar no mundo do empreendedorismo?


Ao longo deste artigo, vamos explicar tudo o que você precisa saber para se qualificar e ter sucesso como empreendedor.



O que é empreendedorismo?


O termo empreendedorismo pode ser amplo, assim como as oportunidades para empreender.


Empreendedorismo é a capacidade e disposição para conceber, desenvolver e gerenciar um negócio a fim de obter lucro.


É claro que podemos abrir o conceito e trazer outras definições.


Em vez do lucro, podemos colocar que o objetivo do empreendedor é criar um valor, gerar um impacto positivo – que pode ou não resultar em lucro.



Quem cria uma instituição sem fins lucrativos, por exemplo, será que não está empreendendo também?


Neste artigo, porém, vamos nos restringir a falar sobre o empreendedorismo relacionado à criação de empresas com fins comerciais. Criação e gestão, porque o empreendedorismo pode se manifestar também em uma organização que já está criada.


Quando uma empresa consolidada se arrisca a explorar uma nova área ou desenvolver um produto inovador, ela está empreendendo.


Seja qual for o caso, estamos falando em enxergar oportunidades e investir tempo e recursos (materiais, financeiros e humanos) para explorá-las. Essas oportunidades normalmente correspondem a um problema ou a uma necessidade que a população – ou uma parte dela – possui.



Como ser um empreendedor?


É importante que o empreendedor tenha uma base analítica antes de propor uma solução.

O empreendedorismo começa com a ideia de um produto ou serviço que ofereça a solução para os problemas e necessidades que mencionamos acima.


O primeiro passo para ser um empreendedor, portanto, é ter a perspicácia de perceber essas oportunidades.


Mas não se trata de mera intuição.


Ela tem um papel importante, é claro, mas é possível partir da racionalidade, analisando fatos. Há cada vez mais dados e informações diversas para embasar a criação de novos negócios.


Podem ser escolhidos vários caminhos, por exemplo:

  • Atender a uma demanda reprimida em determinada localidade

  • Desenvolver um produto ou serviço novo, criando um público novo

  • Diferenciar-se e chamar a atenção melhorando um produto ou serviço que já existe e é conhecido.


De qualquer maneira, observar uma oportunidade e pensar na solução é apenas o começo. Ninguém empreende se não sair do campo das ideias. O empreendedorismo implica em correr riscos, em colocar o planejamento em prática e desenvolver uma empresa.


O caminho mais adequado para isso é obter um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), que é o CPF da empresa, a formalização do negócio dentro das regras legais.



O que leva alguém a ter o próprio negócio?


Muitos fatores podem motivar as pessoas a empreender – desde questões pessoais até a carência de emprego ou necessidade de aumentar a renda.


Porém, esse quadro mudou diante de forças externas como a crise política e econômica, que impactaram a economia nacional, provocando alta no desemprego e insegurança quanto ao futuro.


Essa tendência deverá se consolidar no levantamento de 2020.


Afinal, por causa da pandemia de Covid-19, muitas pessoas ficaram sem trabalho e decidiram começar a empreender para arcar com as despesas triviais e o sustento da família.


Como resultado, especialistas estimam que um quarto da população adulta esteja trabalhando em sua própria empresa, tendo como principal razão a necessidade.



Quais as características de um empreendedor


As pessoas são diferentes e, por isso, encontramos empreendedores de sucesso dos mais diversos perfis (no tópico seguinte, falaremos mais sobre eles).


Mas é desejável que o futuro empresário possua determinadas qualidades pessoais que possam tornar todo o processo muito mais fácil.


Tudo começa pela disciplina e dedicação, características inegavelmente fundamentais.


Aqui vale o alerta: se você deseja empreender porque acha que hoje trabalha demais, pense melhor.


É claro que, no futuro, depois de a empresa vingar e estar organizada, é possível reduzir sensivelmente a carga horária de dedicação ao trabalho.


No começo da empreitada, porém, será preciso muito gás para lançar o negócio, obter retorno sobre o investimento, lucrar e crescer. A diferença é que você terá a chance de gastar todas essas horas de trabalho com algo que realmente ama.


Continuando a falar sobre as características de um bom empreendedor, a já citada perspicácia é desejável. Ou seja, estar ligado, atento, ser perceptivo e ter a sensibilidade para perceber significados escondidos em nuances e detalhes, seja nos números ou no comportamento das pessoas.



A vontade de aprender é outra qualidade muito importante.


Aliás, antes disso, a consciência e humildade de saber que sempre há o que aprender – não apenas em cursos, mas nas experiências do dia a dia e com pessoas de qualquer cargo e idade.


Saber lidar com pessoas é essencial para quem quer ter sócios, funcionários, parceiros e clientes.


Esse é um desafio e tanto, pois exige muita inteligência emocional, profissionalismo (não confundir o pessoal com o profissional), empatia e comunicação não violenta. Por fim, mas não menos importante, está a vontade de servir.


Ter um comportamento egoísta e arrogante é uma falha muito comum entre os empreendedores. Lembre-se sempre de que, para ganhar dinheiro, é preciso oferecer algo que satisfaça à necessidade dos consumidores. Pense sempre neles.



Tipos de empreendedores


É importante que um empreendedor nunca deixe de desenvolver suas habilidades.

O legal do empreendedorismo é que qualquer pessoa pode iniciar um negócio e prosperar com ele.


Isso vale até mesmo para aqueles que não tenham as características de que falamos acima, já que todas elas podem ser desenvolvidas.


Desse jeito, o mundo dos negócios agrega os mais diversos perfis, porque há infinitas possibilidades de áreas a serem exploradas. Mas, podemos definir algumas valências para classificar o empreendedor em um perfil genérico, como mostraremos a seguir.


É normal que a pessoa pense mais para um lado do que para o outro, mas tenha em mente que o ideal é sempre encontrar um equilíbrio entre as duas possibilidades.


Ousado ou conservador?

O empreendedor ousado é aquele que tem maior disposição para encarar riscos, ao contrário do conservador, que não gosta de se arriscar.


Enquanto o primeiro pode, tal qual Ícaro, voar muito perto do sol e queimar as asas, o segundo peca justamente por nunca tentar algo novo.


Solitário ou sociável?

Há pessoas que preferem trabalhar sozinhas, e outras que gostam de mobilizar um grande número de pessoas.


A necessidade de sociabilização depende muito da área de trabalho, mas é bom não se isolar, assim como não forçar as interações.


Executa ou coordena?

Um gestor que mostra aos seus colaboradores que é capaz de executar e não apenas mandar, ganha muitos pontos.


Mas ele não pode mergulhar no trabalho prático e esquecer de coordenar os projetos e pensar na estratégia da empresa.


Amável ou duro?

A amabilidade é positiva, mas não pode se transformar em uma tendência de levar as coisas para o pessoal – ou contribuir para que os colaboradores tenham esse entendimento.


Já o chefe que é mais duro no trato pessoal, corre o sério risco de passar da linha e desmotivar seus funcionários.



O que você precisa saber antes de empreender?


Não pule de cabeça: você precisa responder algumas perguntas antes de empreender.

É possível empreender oferecendo um serviço, desenvolvendo um produto, prestando consultoria, agregando pessoas e empresas (economia colaborativa) ou fazendo investimentos.


Seja qual for o caminho, procure responder às seguintes perguntas antes de começar a empreitada:

  • Qual é o seu perfil de empreendedor? Seguindo os tipos de que falamos acima, como você se definiria?

  • Qual o seu propósito? O que o motiva a empreender, além do dinheiro?

  • Qual o valor oferecido? O que exatamente você vai oferecer para seus futuros clientes?

  • Como você produzirá esse valor? Quais serão os recursos (matéria-prima, capital, pessoas e parceiros) que serão mobilizados?

  • Quem são os futuros clientes? O que eles procuram, qual sua idade, gênero, classe social, etc.?

  • Qual o diferencial do seu produto ou serviço? O que você vai oferecer que a concorrência não possui?

  • Qual será a sua dedicação? Vai largar o emprego para abrir o negócio ou desenvolvê-lo aos poucos, nas horas vagas?

  • Qual a estrutura necessária? O trabalho pode ser feito em casa ou precisa de um escritório ou ponto de venda?

  • Onde se instalar? Caso seja necessário buscar um ponto comercial, qual é a localização ideal para ele?

  • Qual a burocracia que envolve o negócio? Quais as formalidades legais que precisam ser cumpridas para a abertura e funcionamento da empresa? É viável cumpri-las?

  • É claro que algumas respostas podem mudar com o andar das coisas, mas é importante tê-las muito claras na cabeça antes de abrir o negócio.

  • Qual a importância do empreendedorismo na vida profissional, para as empresas e para a sociedade?


Se você voltar para o começo do texto verá que, na nossa definição de empreendedorismo, falamos em lucro, mas também em “criar um valor, gerar um impacto positivo”.


Disseminar a mentalidade empreendedora a partir desta segunda ideia é uma ação que só trará benefícios para a sociedade.


Afinal, dessa forma, teremos mais pessoas dispostas a criar soluções para problemas do nosso dia a dia.


O empreendedorismo pode ser estimulado até mesmo dentro das empresas, pelos gestores, na comunicação com seus colaboradores.


É o chamado intraempreendedorismo.


Em vez de temer que um funcionário saia da empresa e vire concorrente, encare como uma maneira eficiente de promover a inovação e melhorar a satisfação dos colaboradores.


Dessa maneira, o intraempreendedorismo é benéfico para os dois lados, pois favorece novos projetos dentro da empresa e o crescimento dos trabalhadores.



A ligação entre empreendedorismo e inovação


Empreender e inovar andam de mãos dadas. Os conceitos de empreendedorismo e inovação são parecidos. Inovar é criar algo novo, enquanto empreender é criar um negócio novo.



E aí, gostou do conteúdo e quer saber mais? Então, aproveite para descobrir o que é backoffice e qual sua importância nos negócios?


Compartilhe!

21 visualizações