Como aplicar a gestão empresarial

Aplicar a gestão empresarial depende basicamente de planejamento, indicadores de desempenho, tecnologia e qualificação profissional.

É com essas armas que o gestor se torna apto a fazer frente aos desafios, que são diários e inúmeros, exigindo conhecimento e muito jogo de cintura para manter a engrenagem ativa e funcionando bem.


A partir desses princípios fundamentais, todo o entorno se organiza melhor, como iremos destacar agora.



Planejamento

Toda empresa precisa de metas.


Significa definir onde ela almeja chegar para que seja possível estabelecer os passos para isso.


A necessidade aparece antes mesmo de abrir as portas, no chamado plano de negócio – instrumento que estabelece o passo a passo para tirar a ideia do papel.


Tal compromisso se mantém durante toda a sua existência, muitas vezes exigindo a revisão de processos e ajustes para corrigir possíveis desvios.


Até mesmo medidas difíceis, como fechamento de unidades ou demissões de colaboradores, exigem planejamento para que sejam colocadas em prática.


O objetivo é claro: mitigar riscos, minimizar danos e conduzir o negócio aos melhores resultados.



Indicadores de desempenho

Há uma frase famosa no marketing, atribuída a Philip Kotler, que diz que “o que não é medido não é gerenciado”.


Ter indicadores de desempenho é uma forma de o gestor avaliar o seu negócio e identificar se ele caminha no rumo certo, em direção à concretização de seus objetivos.


É um instrumento de gestão complementar ao planejamento.


Você pode utilizar indicadores de desempenho de processos, como eficiência, produtividade, qualidade e lucratividade, assim como outros relacionados ao desempenho estratégico.


Nesse último caso, é válido recorrer a ferramentas administrativas, como Análise SWOT, 5W2H e Balanced Scorecard – mais à frente, falaremos mais sobre elas.



Tecnologia

A gestão empresarial não é uma tarefa simples, mas já foi bem mais complicada.


Em um passado não muito distante, muitos dos controles e tarefas eram realizados apenas manualmente, tomando tempo e exigindo maior esforço do gestor.


A boa notícia é que a tecnologia evoluiu a ponto de automatizar muitas tarefas.


Hoje, é possível encontrar no mercado diferentes sistemas de gestão empresarial, conhecidos como ERP – Enterprise Resource Planning ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial, para os mais variados portes de empresas.


São softwares que conectam as diferentes áreas de um negócio, compartilham informações e oferecem relatórios para análises detalhadas.


Uma venda, por exemplo, pode gerar informação ao financeiro (para cobrança), ao administrativo (para faturamento e emissão de nota fiscal), ao estoque (para saída de item) e para o departamento de compras (para reposição).


Tudo de forma automática.


Isso sem falar no registro da receita no fluxo de caixa, que é uma das mais importantes ferramentas de controle financeiro em qualquer empresa.



Qualificação profissional

Por fim, mas não menos importante, uma boa gestão empresarial depende de ter à frente do negócio profissionais qualificados.


Isso vale tanto para a montagem de um time talentoso, quanto para a definição de supervisores e gerentes preparados para o desafio, sem esquecer da formação do próprio dono do negócio, que por vezes atua sozinho.


Cursos técnicos, de graduação e pós-graduação são um requisito obrigatório para quem está diante dessa missão.


Ainda que uma consultoria de gestão empresarial seja contratada e que um bom contador seja figura presente no negócio, o seu gestor não pode abdicar do compromisso e responsabilidade.


Para isso, ele precisa estar preparado e garantir que as pessoas ao seu redor também estejam.

11 visualizações

Posts recentes

Ver tudo