Guia completo para seguir na hora de escolher uma franquia para investir

Está pensando em entrar para o mundo das franquias? Nossas dicas vão te ajudar! Montamos um guia completo para você saber quais são os passos a serem seguidos na hora de escolher uma franquia para investir e, principalmente, como apostar em uma das franquias mais baratas do Brasil.

Tão importante quanto saber em qual franquia investir, é essencial também conhecer o mercado em que você vai atuar como franqueado. Assim como os valores e taxas envolvidos nesse investimento.



O mercado de franquias: destaque mesmo em cenários de instabilidade


Mesmo diante dos desafios e instabilidades econômicas causadas pela crise atual, o cenário do franchising brasileiro é um dos setores da economia que apresenta resultados positivos.


Esses resultados se devem ao constante investimento em inovações nos processos de gestão e operação, às estratégias de expansão e ao aprimoramento de serviços e produtos de acordo com as tendências do mercado.


Em levantamento organizado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), as redes que trabalham com alimentação foram as que mais cresceram. Elas registraram um aumento de 5,6% no faturamento de 2019, em comparação com o total de 2018. O número de unidades franqueadas também aumentou entre os anos de 2018 e 2019: 2,6%.


Em segundo lugar está o segmento de Casa e Construção. Em 2018, as redes que atuam nesse setor contribuíram para um faturamento de R$ 10,02 bilhões e, em 2019, o total foi de R$ 11,01 bilhões. Um aumento de 10% na variação do faturamento. Assim como em relação ao número de unidades: em 2019, o total de unidades foi 10,5% superior do que o registrado no ano anterior.


O segmento de Serviços e outros negócios está em terceiro lugar de destaque no ranking da ABF. Em 2018, o setor faturou R$ 24,92 biilhões e, no ano seguinte, o faturamento cresceu 8,3%, atingindo o total de R$ 27 bilhões. O aumento no número de unidades entre um ano e outro também surpreendeu: 9,8%.



Franquias mais baratas do Brasil: mais segurança em investir


A opção na hora da escolha por uma franquia mais baratas, geralmente proporciona ao empreendedor a facilidade de investir um valor de capital mais enxuto, se comparado com as franquias mais robustas. Entretanto, um baixo investimento não é sinônimo de baixa segurança!


Independente do segmento, modelos de franquias ou valor investido, todas as redes devem seguir algumas regras determinadas pela Lei de Franquias.


A legislação determina que a franqueadora deve entregar aos candidatos a franqueados algumas documentações e explicitar direitos e deveres de ambas as partes.

O documento principal é a Circular de Oferta de Franquia (COF). Mais conhecido como COF, esse documento deve conter informações completas sobre a marca, incluindo:

  • Valores e condições de investimento;

  • Responsabilidades do franqueado;

  • Produtos/serviços oferecidos pela marca;

  • Taxas que o franqueado precisa pagar, entre outras informações cruciais.


A documentação, junto do contrato de franquias, proporciona mais segurança aos franqueados, principalmente aos empreendedores de primeira viagem.


Tudo que for pago pelo empreendedor precisa estar descrito de forma bastante explícita na COF e no contrato de franquia. Ambos devem estar de acordo com a Lei de Franquias. Assim, diferentemente dos empreendimentos convencionais, os franqueados atuam com o apoio de documentações e uma legislação.



Taxas que fazem parte do investimento


Além do valor de investimento inicial, as franquias mais baratas exigem que os empreendedores paguem algumas taxas, comuns em todo processo de franqueamento.


A taxa de franquia é a primeira taxa, que se refere à concessão do uso de marca pelo franqueado e à transferência de know how. O pagamento da taxa de franquia também cobre os custos com treinamentos, que devem ser oferecidos aos franqueados pela franqueadora.


Em segundo lugar há a taxa de royalties, bastante comum no franchising. Ela funciona como um tipo de remuneração paga à franqueadora para o uso da marca pelo franqueado. Suporte e consultorias também são financiadas pela taxa de royalties.


O capital de giro é essencial para a saúde da unidade franqueada. Esse é um valor voltado, unicamente, para custear toda a operação, financiar os custos da rotina de trabalho e pagar o estoque enquanto a unidade ainda não atinge o seu ponto de equilíbrio.


A taxa de publicidade costuma ser paga mensalmente à rede, sendo voltada para as ações de marketing e propaganda utilizadas para potencializar a imagem da unidade franqueada.


Finalmente, a taxa de instalação costuma ser cobrada para franquias que exigem instalação de ponto comercial. Seja em formato de loja ou de quiosque. O valor cobre custos com reforma, obras, compra de mobiliário para a unidade e padronização de acordo com o projeto arquitetônico da rede.


Portanto, lembre-se: todas as taxas referentes à aquisição da franquia e ao cotidiano de operação da unidade devem constar, de forma bastante explícita, na COF e no contrato de franquias.



Passo a passo


Ao selecionar uma franquia, o candidato deve seguir uma série de passos. Já o franqueador deve acompanhá-los, aconselhar e ajudar a descobrir se este é, realmente, o negócio que o franqueado espera. A tarefa deve ser um esforço conjunto, um estudo sério e de trabalho.


O primeiro passo para o franqueamento é o candidato a franqueado identificar se o seu perfil pessoal e profissional coincidem com as propostas da rede no mercado.


Em seguida, será preciso entender as vantagens e desvantagens do sistema, e de se preparar para fazer as coisas a seguir:

  • Decida se você está disposto a ser treinado;

  • Tenha plena consciência de quanto investirá;

  • Saiba qual será o prazo de retorno do seu investimento;

  • Considere se você vai se sentir confortável com as relações interpessoais da franquia. Afinal, o franqueado pertence a uma equipe e vai se relacionar com o franqueador, seus clientes, funcionários e outros franqueados do sistema, entre muitas outras relações.


Outras regras


Passada a etapa de escolha da franquia, é hora da segunda fase e de responder a algumas perguntas bem importantes. Em qual franquia investir? Qual é a melhor empresa do segmento? Qual é a mais adequada para o meu perfil?


Nesse momento, o mais importante é saber que não existe uma receita universal ou única resposta para essas perguntas. Se você quer se tornar franqueado, deve ser guiado pela experiência e conhecimento que o franqueador tem sobre o negócio.



Investigue antes de decidir


É essencial fazer uma investigação minuciosa sobre a empresa, para evitar cair nas mãos de amadores. Para fazer isso, você deve ir a fundo e buscar o maior número de informações do negócio que pretende empreender. Se você for guiado apenas pela publicidade, corre o sério risco de investir em uma franquia pouco interessante.


Uma boa ideia para descobrir a idoneidade das franquias que estão disponíveis é por meio de fontes especializadas ou que fazem parte do setor. É importante notar que a maioria delas fornecem informações sem nenhum custo para o investidor. Você pode consultar, por exemplo:

  • A Associação Brasileira de Franchising (ABF);

  • Diretórios de franquias;

  • Leia revistas especializadas e publicações diversas;

  • Participe de feiras de franquias e exposições;

  • Sempre pesquise a reputação da rede na internet.



O que você não deve perder de vista


Depois de entender sobre o mercado e modelo de franquia, você deve analisar o máximo de informações possíveis sobre a rede em que você pretende atuar.


Para isso, existem diferentes estratégias que você precisa seguir para entender se a modalidade será um bom negócio.

  1. Visite feiras de franquias: esses eventos são essenciais para ter um maior contato com as marcas e tirar dúvidas;

  2. Converse com outros franqueados para saber como acontece o suporte e treinamento da rede;

  3. Verifique a viabilidade financeira do negócio e faça comparações com franquias similares, como a taxa inicial, royalties e o custo dos serviços, para avaliar se o negócio realmente será rentável;

  4. Não fique com dúvidas! Verifique a organização da franquia, sistemas de formação e, sobretudo, o seu apoio operacional;

  5. Nunca se esqueça que a concorrência direta ou indireta da marca podem estar com novos produtos ou serviços. É importante manter a franqueadora atenta a esses conceitos após o fechamento do contrato;

  6. Identifique o posicionamento da marca na aceitação do mercado e do cliente.

  7. Investigue as falhas que a empresa tem tido. Assim, será mais fácil na hora de corrigir qualquer processo a tempo;

  8. Investigue os gestores que suportam as operações de negócios;

  9. Verifique a estrutura jurídica da franquia.


Com todos esses cuidados, você terá mais facilidade em escolher entre as franquias mais baratas do Brasil.



Mais informações no vídeo abaixo:


Fonte: Encontre Sua Franquia



#investimento #empreendedorismo #gestaodenegocio #franquia #franquiabarata

18 visualizações

FALE CONOSCO

SUPORTE TÉCNICO
(18) 98191-9001

(18) 3643-8626

COMERCIAL

(18) 98132-8386

whatsapp-(4).png
whatsapp-(4).png
logo-header.png

Gigatron Franchising - Matriz

Rua LIberdade, 1503 – Jardim São Cristóvão

Birigui, SP 16200-374

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon

ESTÁ COM PROBLEMAS?

ouvidoria@gigatron.com.br

Copyright © 2020 Gigatron Franchising. Todos os Direitos Reservados. Nota legal - Política de Privacidade